Profissão de Físico

Decidir pela profissão de Físico é fundamental para a definição da vida de cada um, pois ela terá influência na vida social, familiar, financeira, na saúde, integridade física, realização pessoal, entre muitos outros fatores.

Alguns ambientes onde os Físicos trabalham são mostrados a seguir:

Dispositivo para confinamento de plasma de alta temperatura
Dispositivo para confinamento de plasma de alta temperatura
Laboratório de ótica quântica
Laboratório de ótica quântica
Acelerador de partícula
Acelerador de partícula

OPÇÃO POR SE FORMAR EM FÍSICA

Fórmulas de Física, incluindo relatividade e quântica.
Fórmulas de Física, incluindo relatividade e quântica.

O estudante de Física na graduação, muitas vezes, tem o curso confundido com Educação Física, por terceiros.

Na graduação universitária, o curso pode ser encontrado nas modalidades de Licenciatura, com objetivo de formar professores para área de ensinos fundamental e médio, bem como o bacharelado, para aqueles que querem trabalhar em outras áreas, seguir o mestrado, doutorado e outros níveis acadêmicos, tanto na área de Física, como outras áreas correlatas.

A duração do curso, tanto em licenciatura, quanto em bacharelado, é de quatro anos. Os cursos podem ser realizados em instituições do Governo Federal, Governos Estaduais e algumas instituições privadas. O estudante poderá ter ambas as formações, no entanto, deverá definir-se por uma das opções. Caso queira obter os dois títulos, deverá, em ambos os casos, fazer complementação de matérias entre os cursos, de acordo com a grade de cada instituição, lembrando sempre que a utilização da matemática é fundamental, do início ao fim do curso, pois será sempre necessária em qualquer área da profissão.

Profissão de Físico no Brasil

PERFIL DE QUEM PRETENDE BUSCAR A PROFISSÃO DE FÍSICO

O curso de Física requer algumas características por parte de quem tem interesse em se formar e exercer atividades na área. Sugerem-se as abaixo relacionadas:

  • Boa capacidade de concentração;
  • Capacidade de abstração;
  • Raciocínio dedutivo;
  • Senso de investigação;
  • Senso de curiosidade;
  • Facilidade de entender e absorver novas tecnologias;
  • Facilidade de desenvolver e entender técnicas de computação de hardware e software, assim como seu funcionamento e fundamentos;
  • Visão futurística;
  • Capacidade de interagir com o novo;
  • Senso de observação;
  • Boa capacidade de memorização e raciocínio rápido com base em condições de contorno;
  • Raciocínio lógico;
  • Paciência para aguardar resultados;
  • Habilidade no uso de ferramentas matemáticas avançadas, tais como derivadas, equações diferenciais, cálculo integral;
  • Não se deixar influenciar por dogmas e paradigmas;
  • Avaliar resultados antes da divulgação ou propagação;
  • Ser catalizador de conhecimento;
  • Ter facilidade de memorização, principalmente no uso de ferramentas matemáticas, para demonstração de fenômenos físicos.

A necessidade da base matemática gera bastante evasão do curso de Física, ocorrendo, em muitos casos, número muito pequeno de formandos e baixo interesse no ingresso do curso por parte dos jovens, em virtude de diversos fatores, além dos aqui citados.

PROBLEMAS GERADOS PELA NÃO REGULAMENTAÇÃO DE FÍSICO NO BRASIL

Até recentemente, apesar de ser reconhecida pela classificação brasileira de ocupação, a profissão de físico no Brasil não era regulamentada. Em decorrência disso, a inexistência de conselho regulamentador da profissão tinha como consequências: dificuldade para inclusão dos profissionais em concursos no serviço público e empresas estatais que, em geral, exigem registro em conselho de classe e empresas privadas, que exigem anotação de responsabilidade técnica, que só é possível ser emitida por órgão de classe.

Vários eram os argumentos utilizados por alguns, inclusive por autoridades, para impedir a regulamentação da profissão de físico no Brasil. Eles argumentavam que regulamentação de profissão só deveria ser aplicada onde houvesse risco da perda de vida, o que constitui ideia equivocada, pois os físicos são qualificados e preparados para atuar em atividades fundamentais para a vida humana, tais como:

  • Definir taxas de radiação emitidas por equipamento e dispositivos;
  • Controle e monitoração da emissão de raios ionizantes;
  • Definir taxas para aplicação tratamento de radioterapia;
  • Estudos de aplicações em eletricidade e campos eletromagnéticos;
  • Definições e dimensionamento de dispositivos de automação e instrumentação industrial;
  • Desenvolvimento de softwares para máquinas e computadores de sistemas de telemetria, telefonia, navegação marítima, espacial, aérea, metrôs, locomotiva, entre outros.

A restrição impunha aos egressos dos cursos de Física manterem-se nas universidades em cursos de mestrado, doutorado, dar aulas nas redes públicas e privadas, sair do Brasil para atuar em centros de pesquisa no Exterior ou atuarem empresas privadas em profissões correlatas.

 A LONGA TRAJETÓRIA DA REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE FÍSICO NO BRASIL

Em 1949, o parlamentar baiano Altamirando Requião propôs a regulamentação da profissão de Físico no Brasil sem sucesso. Muitas tentativas foram feitas através de diversos projetos de lei ao longo de muitos anos, com várias recusas, a sociedade brasileira de Física se empenhou junto às autoridades parlamentares e poder executivo, conseguindo no dia 10 de Julho de 2018 promulgação, pelo Presidente da República Federativa do Brasil, da Lei 13.691/2018 que regulamenta o exercício da profissão de físico no Brasil, definindo atribuições, conforme a seguir.

LEI Nº 13.691, DE 10 DE JULHO DE 2018

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA
Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º O exercício da profissão de físico, observadas as condições de habilitação e as demais exigências desta Lei, é assegurado:

I – aos diplomados em Física por estabelecimentos de ensino superior, oficiais ou reconhecidos;

II – aos diplomados em curso superior similar, no exterior, após a revalidação do diploma, nos termos da legislação em vigor;

III – aos que, até a data da publicação desta Lei, obtiveram o diploma de mestrado em Física, em estabelecimentos de pós-graduação, oficiais ou reconhecidos, permitindo-se ao portador de diploma de doutorado em Física, obtido a qualquer tempo, o gozo pleno dos direitos a que se refere esta Lei;

IV – (VETADO).

Art. 2º São atribuições do físico, sem prejuízo de outras profissões regulamentadas que se qualifiquem para tanto:

I – realizar pesquisas científicas e tecnológicas nos vários setores da Física ou a ela relacionados;

II – aplicar princípios, conceitos e métodos da Física em atividades específicas envolvendo radiação ionizante e não ionizante, estudos ambientais, análise de sistemas ecológicos e estudos na área financeira;

III – desenvolver programas e softwares computacionais baseados em modelos físicos;

IV – elaborar documentação técnica e científica, realizar perícias, emitir e assinar laudos técnicos e pareceres, organizar procedimentos operacionais, de segurança, de radioproteção, de análise de impacto ambiental, redigir documentação instrumental e de aplicativos no que couber sua qualificação;

V – difundir conhecimentos da área, orientar trabalhos técnicos e científicos, ministrar palestras, seminários e cursos, organizar eventos científicos, treinar especialistas e técnicos;

VI – administrar, na sua área de atuação, atividades de pesquisas e aplicações, planejar, coordenar e executar pesquisas científicas, auxiliar no planejamento de instalações, especificar equipamentos e infraestrutura laboratorial, em instituições públicas e privadas;

VII – realizar medidas físicas e aplicar técnicas de espectrometria, avaliar parâmetros físicos em sistemas ambientais, aferir equipamentos científicos, caracterizar propriedades físicas e estruturais de materiais, realizar ensaios e testes e desenvolver padrões metrológicos;

VIII – orientar, dirigir, assessorar e prestar consultoria, no âmbito de sua especialidade;

IX – (VETADO).

Art. 3º O exercício da profissão de físico, nos termos desta Lei, depende de prévio registro em Conselho competente.

Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 10 de julho de 2018; 197º da Independência e 130º da República.

MICHEL TEMER
Gilson Libório de Oliveira Mendes
Gleisson Cardoso Rubin
Grace Maria Fernandes Mendonça

Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial da União – Seção 1 de 11/07/2018

O QUE DEVE OCORRER APÓS A REGULAMENTAÇÃO DE FÍSICO NO BRASIL

Com a regulamentação da profissão de físico no Brasil, devem ocorrer, entre outros, os pontos a seguir.

  • Maior possibilidade para os formados em física participarem de concursos em empresas pública e estatais, em virtude da criação dos conselhos de classe;
  • Maior interesse dos jovens em ingressar nos cursos de física em virtude das perspectivas de mercado;
  • Criação de vagas para físicos nas indústrias, física médica, nos campos da farmacêutica, aeronáutica, náutica, desenvolvimento de tecnologias de software, hardware e varias outras, em virtude do conselho regulamentador, com as definições de atribuições;
  • Segurança para a sociedade por razão de garantir que a atividade está sendo realizada por um profissional qualificado e que, em caso de erros, poderá ser punido pelo conselho de classe, além das punições da legislação civil;
  • Impedimento do exercício de atividades por profissionais não habilitados, em virtude da fiscalização por parte dos respectivos conselhos de física;
  • Garantia aos profissionais, que suas atividades serão devidamente fiscalizadas;
  • Garantias que laudos periciais serão feitos por profissionais preparados e registrados nos devidos por órgãos de classe;
  • Atuação em áreas de prospecção, exploração, produção de minérios, petróleo e gás natural;
  • Atuação em áreas com aplicação de instrumentação e automação industrial;
  • Atuação em indústrias de processamento e refino de petróleo e seus derivados;
  • Atuação em áreas de geofísica e mineralogia;
  • Atuação na área de desenvolvimento de instrumentação;
  • Atuação na área de desenvolvimento computacional, envolvendo softwares e aplicações deles;
  • Atuação na área de física médica.

Em virtude da abrangência da formação, a regulamentação da profissão de físico no Brasil, deverá trazer grandes benefícios aos profissionais, universidades, sociedade e população brasileira em geral.

Veja também: A Física na Evolução Tecnológica Moderna e Perspectivas Futuras

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *